Saúde e Bem-Estar

Prevenção é a palavra-chave para longevidade ocular

Em comemoração ao Dia Mundial da Saúde Ocular – marcado em 10 de julho – o oftalmologista Dr. Thiago Pardo Pizarro chama a atenção da população para um fato importantíssimo, mas que nem sempre tem seu devido valor quando se fala em visão: a qualidade do que você come.

“As pessoas ficam preocupadas em ter uma alimentação saudável pensando em estética, boa forma, ou mesmo para combater doenças como diabetes e hipertensão, mas se esquecem – ou não sabem – que a alimentação está diretamente ligada à qualidade da visão. A falta de alguns nutrientes e vitaminas, assim como o excesso, pode causar doenças como degeneração macular, retinopatia diabética, entre outras, além de maximizar outras patologias, como o glaucoma, por exemplo”, explica.

Uma alimentação desregrada pode desencadear um processo progressivo no organismo, em que o surgimento de várias doenças afeta diferentes partes do corpo. “Diabetes e hipertensão são as principais causas de Glaucoma e Retinopatia Diabética, além de outras doenças que podem ser desencadeadas pela obesidade, como catarata, DMRI, entre outras”, destaca o especialista.

As doenças oculares são mais recorrentes em quem está inserido em um estilo de vida não saudável, o que inclui tabagismo, falta de exercícios físicos e dieta hipercalórica. E muitas doenças oculares podem, inclusive, levar à cegueira. Segundo a Agência Internacional de Prevenção à Cegueira, órgão associado à Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil, uma pessoa com mais de 80 anos aumenta em até 30% o risco de ficar cega. Outro dado alarmante é a quantidade de brasileiros cegos: segundo a CBO (Conselho Brasileiro de Oftalmologia) são mais de um milhão.

Hoje, diversos estudos indicam que uma alimentação saudável pode trazer inúmeros benefícios para a saúde dos seus olhos, principalmente no sentido de prevenção a diversas doenças. A dica é apostar em alimentos como a cebola e alho, que agem como dilatadores dos vasos sanguíneos e diminuem a pressão arterial, prevenindo o glaucoma, por exemplo.

Já alimentos como morango, maçã, mamão papaia, cereja, amora, framboesa, couve, cenoura, brócolis, ovos e azeite extra virgem possuem substâncias que auxiliam na prevenção de doenças que deterioram a mácula ou a retina. Além disso, a ingestão de peixes como sardinha, bacalhau, atum e salmão – fontes de ômega 3, vitaminas A, B, D e E – também contribui para a boa saúde dos olhos. “O ideal – sempre – é adotar hábitos saudáveis, como uma alimentação balanceada, e praticar atividades físicas, como musculação ou caminhada, por exemplo. Isso é ter qualidade de vida e cuidar da sua saúde, como um todo”, enfatiza.

Além disso, procurar o oftalmologista pelo menos uma vez ao ano auxilia no combate a doenças, e para pacientes que já possuem alguma patologia, o ideal é de seis em seis meses ou até menos, dependendo do caso. “Algumas doenças são silenciosas, não apresentam sintomas. Dessa forma, o acompanhamento médico é a melhor forma de proteger a sua saúde, sem falar que as consultas de rotina podem detectar precocemente alguma doença”, finaliza o especialista.

Então aproveite que estamos falando de saúde ocular e agende sua consulta com um oftalmologista.

Da Redação
Foto – Divulgação/Arquivo NM

Clique para Comentar

Deixe uma resposta

Topo