Mundo

Morte de Sérgio Vieira de Mello completa 15 anos

Em 19 de agosto de 2003, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, na época com 55 anos, morreu em um atentado com bomba em Bagdá (Iraque). Ele e mais 21 pessoas foram vítimas do ataque de um caminhão-bomba ao Hotel Canal, que funcionava como sede da Organização das Nações Unidas (ONU), no Iraque. Pelo menos 150 pessoas ficaram feridas.

A Al Qaeda assumiu a responsabilidade pelo atentado e informou que Vieira de Mello, funcionário há 34 anos das Nações Unidas, era o principal alvo da ação.

Vieira de Mello, funcionário de carreira da ONU, desenvolveu trabalhos no Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos. Recebeu o prêmio das Nações Unidas de Direitos Humanos. Trabalhou em diversos países, entre eles Timor Leste, Camboja e Vietnã.

Livro e documentário

Para lembrar os 15 anos da morte de Vieira de Mello, será lançado no próximo dia 22, no Instituto Rio Branco, em Brasília, o livro e documentário “Sérgio Vieira de Mello, O Legado de um Herói Brasileiro”. Neles, a história e o trabalho do diplomata em busca da paz.

A obra, escrita por Wagner Sarmento, tem o prefácio escrito por José Ramos-Horta, Nobel da Paz. O projeto do livro e do documentário levou cinco anos para ser concluído e foi conduzido pelo produtor André Zavarize, da ZAZ Produções de São Paulo.

“Hoje existem muitos debates sobre a situação dos refugiados no mundo, e, em todos eles, a figura do Sérgio se faz presente. Mais de um milhão de refugiados foram beneficiados por políticas lideradas por ele”, disse Zavarize.

Em seguida, o produtor acrescentou: “Podemos notar é que Sérgio continua vivo, suas ações ainda ecoam em diversos países servindo de inspiração para muitas ações que vem sendo realizadas”.

Por Agência Brasil Brasília

Clique para Comentar

Deixe uma resposta

Topo