Política

Em discurso, Sinval cobra Alckmin para duplicação da ‘Raposo Tavares’

O médico e deputado federal, Dr. Sinval Malheiros (Podemos-SP), quer acabar com as mortes na Rodovia Raposo Tavares (SP-270), entre o trecho de Itapetininga e Ourinhos. Em discurso no Congresso Nacional, o parlamentar cobra um posicionamento do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sobre a duplicação da pista, que tirou a vida de 36 pessoas em 2016.

“Trata-se de uma rodovia que levaria desenvolvimento a uma importante região paulista. Mas que, hoje, é motivo de muita preocupação e tristeza para centenas de famílias”, afirma.

Os riscos de quem trafega pelo trecho são tão reais que a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo instalou, em meados de 2015, a Frente Parlamentar em Defesa da Duplicação da SP 270 – Rodovia Raposo Tavares. O objetivo da frente parlamentar, segundo Malheiros, é sensibilizar o governador Geraldo Alckmin da necessidade de duplicação da rodovia, tanto no aspecto da segurança aos motoristas, como no sentido de que representará importante avanço para o desenvolvimento regional.

“Enquanto isso, vidas continuam sendo ceifadas pela rodovia da morte. O governo já se comprometeu a iniciar os serviços em diversas ocasiões, numa novela que se arrasta sem o final aguardado. As melhorias previstas conforme projeto são a recuperação da pista, pavimentação de acostamentos, criação de faixas adicionais, sistema de drenagem e sinalização, num investimento esperado de R$ 724 milhões. Um preço muito baixo em comparação com as vidas perdidas”, complementa.

Agronegócio

Malheiros ainda destaca a importância da obra para o desenvolvimento regional. Por se tratar de uma das principais rodovias de ligação entre interior e a capital, as melhorias na estrada reforçarão o agronegócio.

“A região tem aproximadamente 2200 pequenas propriedades rurais em um corredor de produção de açúcar, madeira reflorestada, laranja, milho, feijão, floricultura, pecuária de corte e leiteira. A duplicação também deverá atrair novas indústrias e empresas para a região”, finaliza.

A Raposo Tavares foi o primeiro acesso da capital ao oeste paulista. Começa no fim de uma rua, no bairro Butantã, zona Sul de São Paulo, e que tem seu início e fim dentro do Estado. No total, são 654 quilômetros que passam por 30 municípios até chegar a Presidente Venceslau, divisa com o Mato Grosso do Sul.

Da Redação
Foto – Divulgação/Arquivo NM

Clique para Comentar

Deixe uma resposta

Topo