Catanduva

Mostra Ubuntu vai até o dia 19 de novembro

A Prefeitura de Catanduva, por meio das secretarias de Cultura e Educação, o Sesc Catanduva e a Associação Dell’arte abriram oficialmente a Mostra Ubuntu – A África em Nós neste sábado, dia 11. O evento, recheado de atrações artísticas, ocorre no Espaço Cultural da Praça 9 de Julho. A entrada é gratuita.

De acordo com informações da Secretaria Municipal de Cultura, haverá exposição, roda de capoeira, oficina de bonecas Abayomi e aula aberta de pintura. A mostra será realizada até 19 de novembro. O objetivo é ressaltar a importância da Semana da Consciência Negra, levando à população a cultura e informações sobre o tema.

Trabalhos artesanais desenvolvidos por alunos das escolas municipais vão compor a exposição “Agô”. O nome, do iorubá, significa pedir licença, abrir os trabalhos sob a luz dos orixás.

A Associação Cultural Claro da Luz, liderada pelo Mestre João Parafuso, fará apresentação da roda de capoeira, símbolo de resistência dos negros no período da escravidão, que se tornou uma representação cultural do país; atualmente, é Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, reconhecida pela Unesco.

A oficina de bonecas Abayomi será liderada pelas professoras Isabel Cristina Gisse e Isabela Gisse Rainho. As bonecas, cujo nome quer dizer “aquela que traz alegria”, surgiram nos porões dos navios negreiros – as mães rasgavam suas roupas e faziam bonecas de retalhos para que seus filhos sofressem menos ao serem raptados de seus lares.

Por fim, o evento de abertura terá ainda uma aula aberta de pintura em tela, com participação livre para crianças e adultos, liderada por Mônica Dutra e Zilda Nardi.

A programação completa pode ser encontrada no site oficial da Prefeitura de Catanduva (www.catanduva.sp.gov.br) e na página da Secretaria da Cultura no Facebook. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (17) 3531-5100.

Mostra

“Ubuntu – A África em nós” propõe, por meio de expressões artísticas apresentadas em diversos formatos, impulsionar a reflexão, o debate e a conscientização sobre a importância do povo e da cultura africana, assim como o impacto que tiveram no desenvolvimento da identidade da cultura brasileira.

Da Redação
Foto – Divulgação/Assessoria de Comunicação

Clique para Comentar

Deixe uma resposta

Topo