Saúde e Bem-Estar

Tuberculose: pode matar quando não é diagnosticada adequadamente e não é tratada

Está tossindo com secreção há três semanas, com febre vespertina e com perda de peso? Cuidado, você pode estar com os três principais sintomas da tuberculose – doença infecciosa causada pela bactéria “bacilo de Koch” ou mycobacterium tuberculosis” que pode ser transmitida de uma pessoa para outra, conforme explicou a pneumologista Dra. Fabiana Zocchi Darme, cooperada da Unimed Catanduva.

O dia 24 de março é a data que marca o Dia Mundial de Mobilização Contra à Tuberculose. Pacientes diabéticos, ou com HIV, tem maior probabilidade de adquirir a doença, porém, fatores como o tabagismo e o alcoolismo, também favorecem para que o organismo fique mais fragilizado à doença.

A médica ressalta que embora haja um grupo de risco (pessoas com baixa imunidade) qualquer pessoa pode adquirir a doença. “É um engano achar que só quem está mais debilitado adquire a tuberculose. O que existem são fatores de risco, em que as pessoas com baixa resistência, têm maior probabilidade de serem contaminadas pela doença”, disse.

De acordo com a especialista, a transmissão da tuberculose é direta, citando exemplo da tuberculose pulmonar. “O paciente ao tossir expele no ar gotículas que contém a micro bactéria da doença, a pessoa próxima ao paciente fica suscetível a inalar essas gotículas e consequentemente desenvolver a doença”, detalhou.

Entretanto, a médica explicou que não são todas as pessoas que inalam as gotículas que desenvolvem a doença, pois há pessoas com boa resistência e o próprio organismo se defende.

É importante destacar que a tuberculose não atinge somente o pulmão, ela pode comprometer a “pleura” (membrana que recobre o pulmão), atinge a meninge, e também há tuberculose renal e cardíaca.

TRATAMENTO

A tuberculose pode matar quando ela não é diagnosticada adequadamente e não é tratada. A médica explica que há tratamento com duração de seis meses, por meio de medicação via oral. “Existem tuberculoses resistentes, neste caso, o paciente é encaminhado para um centro de referência e realiza tratamento com medicações injetáveis”, completou.

Além do diagnóstico, o paciente precisa fazer o tratamento correto. “Infelizmente há pacientes que com a melhora clínica, abandona o tratamento, e isso é um perigo, porque a tuberculose é reincidente e pode levar a óbito”, alertou.

Como prevenir?

A primeira prevenção é a vacinação por meio da vacina BCG, que se toma logo no primeiro ano de vida, a qual, evita a tuberculose mais grave, conforme explicou a Dra. Fabiana.

Mesmo imunizado com a vacina, o risco da doença ainda é permanente, por isso, outras ações de prevenção são recomendadas:

– Identificar o mais rápido possível o doente, para que ele não seja um transmissor;

– Evitar lugares muito aglomerados, como lugares fechados, porque se tiver alguma pessoa contaminada neste ambiente, a probabilidade de transmissão acaba sendo muito maior;

– Manter a higiene domiciliar e pessoal, ter uma casa bem ventilada, com rede de água e esgoto instalada;

Da Redação
Foto – Assessoria de Imprensa/Unimed

Clique para Comentar

Deixe uma resposta

Topo