Saúde e Bem-Estar

Ingestão de peixe reduz probabilidade de diagnóstico de diabetes

Mais de 70 mil pessoas morrem por ano no Brasil acometidas pelo diabetes. De acordo com o nutrólogo e endocrinologista, presidente da ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia), Prof. Dr. Durval Ribas Filho, Diretor de Desenvolvimento da Unimed Catanduva, estima-se que de 7% a 8% da população é vitimada pela diabetes – doença crônica degenerativa.

Silenciosa e de alto risco, o diabetes é uma doença que precisa estar atento e prevenir-se de forma contínua. A doença é caracterizada pelo aumento dos níveis de glicose (açúcar) no sangue, provocada no momento em que o pâncreas começa a produzir menos insulina (hormônio que leva a glicemia para dentro da célula), pelo próprio organismo, ou quando o paciente tem sobre peso ou é obeso.

“Quando o paciente é obeso, o pâncreas gasta mais energia e produz insulina em grande quantidade, depois a glândula entra em hipofunção (deixa de funcionar corretamente), não levando a glicose para dentro da célula, e ficando no sangue, onde ocorre uma hiperglicemia (alta taxa de açúcar na corrente sanguínea)”, explicou o endocrinologista.

Ainda de acordo com o especialista, a obesidade causa a resistência insulínica, na qual, a gordura em excesso provoca a resistência na produção de insulina.

Dentre os dois tipos existentes de diabetes (tipo I e tipo II), o grande aumento vem sendo causado pelo diabetes tipo II, conforme destacou o especialista. “O tipo II é provocado, em tese, pela resistência insulínica, por causa da obesidade, pelo sobrepeso e excesso de tecido gorduroso”.

Já o diabetes tipo I é diagnosticado principalmente em crianças e jovens, neste caso a doença é automune, ou seja, o próprio organismo não reconhece o pâncreas e gera grande quantidade de anticorpos contra a glândula, e não deixa o pâncreas produzir insulina.

Sintomas

Os principais sintomas que podem alertar a doença são: sensação de muito apetite, acompanhado de muita sede, vontade constante de urinar. “Quando uma pessoa começa a acordar duas vezes a noite para beber água, ou urinar, ou tem muita vontade por doces de forma exagerada, essa pessoa tem o clássico diagnóstico da doença”, ressaltou.

Prevenção

O nutrólogo recomenda uma alimentação balanceada. “Se a pessoas ingerirem pelo menos três vezes por semana alimentos integrais, reduz em 24% a chance ter o diabetes. Se consumir peixe três vezes por semana, a probabilidade de se ter a doença é reduzida em 28%”, ressaltou.

Além de uma boa alimentação, o Dr. Durval Ribas Filho orienta a população para que faça exames periódicos regularmente. Entre eles, o teste de glicemia capilar, fornecido gratuitamente no evento Unimed na Praça, programa que ocorre quinzenalmente nas 18 cidades da área de ação da Unimed Catanduva.

Da Redação

Foto – Assessoria de Imprensa/Unimed

Clique para Comentar

Deixe uma resposta

Topo