Brasil

Fazenda libera R$ 612 milhões em créditos da Nota Fiscal Paulista

A Secretaria da Fazenda liberou R$ 612 milhões em créditos da Nota Fiscal Paulista para os participantes do programa.

Os consumidores pessoas físicas e condomínios receberão créditos relativos às notas fiscais com CPF e CNPJ de compras realizadas no primeiro semestre de 2016.  O montante a ser liberado para entidades corresponde a documentos fiscais de compras próprias das instituições e de cupons recebidos em doação no segundo semestre do ano passado.

Os consumidores que tiveram maior volume de créditos liberados são de São Paulo (R$ 219,84 milhões), Campinas (R$ 15,96 milhões) e Guarulhos (R$ 11,06 milhões). As instituições que receberam por sua vez os maiores valores são a Ação Comunitária do Brasil (R$ 1,41 milhão), Instituto Verdescola (R$ 1,20 milhão) e Associação ao Menor Excepcional – AME (R$ 601,55 mil).

Os créditos da Nota Fiscal Paulista permanecem à disposição dos consumidores por cinco anos a contar da liberação e podem ser utilizados a qualquer momento dentro desse período.

Pela primeira vez os consumidores poderão resgatar seus créditos utilizando o aplicativo (app) da Nota Fiscal Paulista. Basta acessar o app pelo tablet ou smartphone, digitar o CPF/CNPJ e senha cadastrada e solicitar a opção desejada.

Os usuários cadastrados no sistema que preferirem também poderão transferir os valores diretamente na página da Nota Fiscal Paulista na internet: www.nfp.fazenda.sp.gov.br. Em ambas as opções os valores serão creditados na conta indicada em até 15 dias.

Aproveitando a oportunidade da liberação de créditos, cerca de 1 milhão de consumidores serão avisados da necessidade de atualizarem suas senhas para acessarem suas contas.

No momento do acesso, esses consumidores receberão uma alerta de que suas chaves de acesso são consideradas vulneráveis pelo sistema e que, para sua própria segurança, a equipe da Nota Fiscal Paulista recomenda a troca para uma senha mais forte.

Outra importante medida de segurança que deve ser tomada pelos consumidores é nunca utilizar aplicativos não oficiais da Nota Fiscal Paulista, que trazem riscos potenciais que devem ser evitados – como fonte de captação de informações pessoais do consumidor e monitoramento de seu padrão de consumo.

Da Redação, com informações da Secretaria da Fazenda

Foto – Divulgação/Arquivo NM

Clique para Comentar

Deixe uma resposta

Topo