Brasil

ARTIGO: O Led é a solução

Já escrevi que a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) está exigindo homologação nacional para os inversores “grid-tie” e que isso quintuplicou o preço do único homologado no mercado, além do que os equipamentos solares que são instalados em dois dias, levam até cinco meses para serem autorizados pelas distribuidoras. E, até agora, nada mudou.

Depois de muito pesquisar e calcular (dá-lhe planilha!), acredito que a utilização de lâmpadas LED nas casas e nas empresas causará um grande impacto no consumo, já que esse tipo de lâmpada gasta a metade da energia para a mesma iluminação. E é o melhor custo-benefício em investimento em energia, considerando que eu paguei em agosto R$ 0,67 por kWh e R$ 22,00 em cada lâmpada de 10 W em fevereiro, ou seja, elas se pagam em 9 meses, contra mais de dez anos para os sistemas eólicos ou fotovoltaicos.

O potencial também é enorme para a iluminação pública. Segundo o Guia do Gestor – Iluminação Pública do Estado de São Paulo, em 2011, foram consumidos quase 130 mil GWh de energia elétrica, em todo o estado de São Paulo, sendo que a Iluminação Pública respondeu por 2,3% desse total, ou seja, cerca de 3 mil GWh. O potencial de economia é de 1,5 GWh, ou quase um bilhão de reais por ano. Reforçando que o investimento é pequeno e com retorno em 9 meses.

E para ficar ainda mais barato, resolvi escrever para a Presidente Dilma, naquele “site” que não permite copiar-colar, e sugerir que: (1) utilize lâmpadas LED de baixo custo nos programas habitacionais do governo federal e nos prédios públicos, também para dar exemplo; (2) isente essas lâmpadas dos impostos e taxas; (3) estimule a importação de lâmpadas mais potentes; e (4) utilizar os bancos oficiais para parcelamento das compras grandes dessas lâmpadas.

Dias depois recebi a resposta do assessor: “a Presidenta Dilma Rousseff agradece seus comentários e sugestões”. Isso é uma resposta-padrão e mostra que nem leram o que escrevi…

Resolvi escrever para o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin. O gabinete enviou para a Ouvidoria, que enviou para a Secretaria de Energia, que fez suas considerações e enviou para a Fazenda. E eu sendo informado em todo o processo. Talvez a Dilma poderia fazer um estágio no gabinete do Alckmin para aprender como se trata um cidadão.

Além das lâmpadas LED vendidas no Brasil, como a Golden e Ourolux, também tenho testado diversas adquiridas no exterior pelo correio. As nacionais mostram boa qualidade, já as chinesas, somente algumas sobreviveram, a maioria queima em até 45 dias.

A dona Dilma deveria olhar também a experiência da Caixa Federal que, no ano passado, em Juazeiro, cidade que recebe mais de 2.800 horas de sol por ano, investiu sete milhões de reais para construir a maior usina solar brasileira construída sobre telhados. Usina que foi doada às mil famílias dos condomínios populares vizinhos Morada do Salitre e Praia do Rodeadouro. O excedente é vendido e provê uma renda extra para essas famílias. E, pelo faturamento verificado, o investimento se pagará em sete anos. Boa experiência?

 

Mario Eugenio Saturno (cienciacuriosa.blog.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano.

 

Clique para Comentar

Deixe uma resposta

Topo