Saúde e Bem-Estar

“Abril Marrom”: 18% da população brasileira têm deficiência visual

A principal causa de perda irreversível da visão é o glaucoma

Dados do Censo Demográfico 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que mais de 45 milhões de brasileiros (23,9%) têm algum tipo de deficiência, seja ela auditiva, motora, mental ou intelectual. A deficiência visual representa 18,60% dos casos apurados. O glaucoma é a principal causa de perda irreversível da visão. De acordo com o oftalmologista Dr. José Renato Pizarro, isto se deve ao fato da doença ser silenciosa. “Quando surgem os primeiros sinais, o risco de o paciente ter importante perda de visão já é significativa e muitas vezes definitiva”, disse.

O “Abril Marrom” é celebrado durante todo o mês, em vários estados do país, com o objetivo de conscientizar a população sobre os graves efeitos provocados pela perda da visão. O glaucoma é a segunda causa de perda da visão, mas ao contrário da catarata, que lidera o ranking, ela é irreversível. Muitas pessoas não sabem o significado da palavra “glaucoma” e não fazem o tratamento adequado. “Sem um acompanhamento oftalmológico, a doença caminha silenciosamente e as pessoas só procuram ajuda quando já perderam parte da visão. A população precisa ficar atenta e realizar exames oftalmológicos anualmente, como forma de prevenção não só ao glaucoma, mas a todas as doenças”, explicou o oftalmologista Dr. Thiago Pardo Pizarro.

Pessoas negras, asiáticas, com mais de 40 anos de idade, diabéticos, crianças estão no grupo de risco para desenvolver a doença. Porém, bebês também podem ser acometidos pela perda de visão provocada pelo glaucoma e catarata. “Por isso, o teste de olhinho, logo nas primeiras horas de vida da criança, é extremamente importante. Nele é possível identificar a patologia ou qualquer outro problema”, ressaltou Dr. Thiago. A doença conhecida como glaucoma “congênito” ou “pedriátrico”, acomete um a cada mil bebês. “É rara, porém os seus sinais são bastante evidentes. Está relacionada ao histórico familiar, razão pela qual o diagnóstico e tratamento precoces, nesses casos, é fundamental”, completou o Dr. José Renato.

A cada ano, surgem no mundo 2,4 milhões de novos casos. A estimativa atual é que existam 70 milhões de portadores e estatísticas do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) apontam para um total de um milhão de vítimas da doença no país. Ainda de acordo com os dados, estima-se que 70% dos portadores não estejam em tratamento. “Esses dados são alarmantes, pois sem um tratamento correto, além da perda da visão, a pessoa perde a qualidade de vida. 85% da comunicação que temos com o mundo exterior se dão através dos olhos”, disse o oftalmologista Dr. Thiago.

Cerca de 60% das doenças oculares que causam cegueira são tratáveis. O diagnóstico precoce é a chance que a pessoa tem para não ficar cega. A população precisa ficar alerta nos pequenos sinais e querer se cuidar. “Os olhos são um patrimônio muito precioso, mas não são tratados com a devida atenção. Isso precisa mudar”, alertou Dr. José Renato.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), até 2020, com a maior longevidade da população, a expectativa é que 80 milhões de pessoas desenvolvam o glaucoma. A doença, geralmente, acomete mais as mulheres (21,4%) do que os homens (16%). “Não deixe de procurar um oftalmologista. Mantenha seus exames em dia e evite perder algo tão importante, como a visão”, finalizou Dr. Thiago Pizarro.

Da Redação
Foto – Divulgação/Arquivo NM

Clique para Comentar

Deixe uma resposta

Topo